Jaspion  sucesso dos anos 80

 

Em fevereiro de 1988, Jaspion estreava na televisão brasileira, na extinta TV Manchete.

O seriado japonês, que mostrava um herói usando armadura poderosa e um robô gigante lutando contra um vilão que parecia o Darth Vader, da saga Star Wars, conquistou o público, e se tornou fenômeno de audiência.

Até os anos 80, seriados e filmes japoneses não chegavam ao Brasil e pouco se sabia sobre essas produções.

Com Jaspion, abriu-se as portas para mais desenhos e séries, se tornando cada vez mais populares e causando uma mudança radical no mercado.

Os chamados tokusatsus, produções que usam efeitos especiais, ganharam espaço na grade das emissoras e fizeram parte da infância e adolescência de toda uma geração.

Os jovens da época cresceram assistindo monstros e robôs gigantes atacando cidades, heróis lutando contra o mal e muita explosão e destruição em cada batalha.

Antes de estrear na televisão, Jaspion enfrentou muitas recusas das emissoras.

O seriado foi trazido ao Brasil pela Everest Vídeo, locadora que alugava para os clientes fitas com conteúdo original da TV oriental.

Vendo o sucesso e a curiosidade que os clientes tinham pelas produções, decidiram oferecer as fitas para as grandes emissoras de televisão, mas o plano não deu certo.

Foi na Rede Manchete que a série e Esquadrão Relâmpago, Changeman encontraram espaço. No auge, Jaspion chegou ao primeiro lugar na audiência, batendo novelas das emissoras rivais.

Desde 1994, a série já foi reprisada por outros três canais, e pode ser assistida nos dias atuais na Rede Brasil.
Agora, 30 anos depois da estreia, a série completa está disponível novai-ganhar-filme-e-manga-brasileiros- 30-anos-apos-estreia 2019″. Além disso, o personagem vai ganhar uma versão brasileira em quadrinhos e um filme, feito 100% no Brasil.

Em julho de 2018, a editora JBC anunciou que Jaspion voltaria em aventuras inéditas em um mangá produzido inteiramente no País, com roteiro e arte feitos por artistas brasileiros.

Para comemorar os 30 anos do herói no Brasil e celebrar os 110 anos da Imigração Japonesa, a empresa entrou em uma parceria inédita com a Sato Company, detentora dos direitos autorais do herói no Brasil e a Toei Company, criadora do seriado.

No anúncio, a editora conta que os quadrinhos vão retomar o que foi mostrado na série clássica, sem deixar de contextualizar o que aconteceu há 30 anos atrás com os tempos atuais.

Mais conflitos, os personagens já conhecidos e novos e “até um novo penteado”. O mangá está em fase de produção e aprovação do roteiro, mas deve ser lançado em 2019.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.